Encontros

O encontro do meu corpo com o chão ausente. Ausência, mas não desencontro. Ainda não, ao menos. Mas mesmo assim, em alguns dias igualmente desencontrada. O gelado do piso realça o meu desejo por grama e areia e por finalmente não estar mais entre quatro e tantas paredes. Fingir que não sinto saudade o tempo […]

Leia mais Encontros

Voltar

Sentir que as minhas pernas estranham o movimento e a distância entre os dias em que elas se habituaram a percorrer os quilômetros da cidade como velhos conhecidos e a quase imobilidade desse agora que se prolonga por tempo demais. É curioso como mesmo aquilo que amamos pode se tornar estranho se distante o suficiente. […]

Leia mais Voltar

Sonhos pandêmicos

“Pai”, eu penso. Essas três letras que há algum tempo contém em si milhares de quilômetros, mas que agora se manifestam bem do meu lado nesse carro em movimento. Embora não pareça, isso me atordoa um pouquinho. Não mais do que levar você comigo para fazer o que gosto. Essa ausência tão presente. Essa presença […]

Leia mais Sonhos pandêmicos

Temperos

Seguro o cabo da panela com a mesma força com a qual já tive que segurar meus medos. Às vezes, mexendo uma coisa qualquer, ainda me surpreende não ter mais que segurar. Ou não ter mais o que segurar, talvez. Não que eu não tenha medos. Só que alguns deles assumiram outros sentidos. Assim como […]

Leia mais Temperos

O seu olhar

Minhas mãos se movem no automático, encontrando aos poucos um ritmo próprio entre pacotes e garrafas a serem limpas nessa abafada manhã. O litro de álcool gel descansa no chão ao meu lado, parte gritante das novas rotinas que a pandemia nos impôs. Minhas mãos ganham velocidade, mas meu corpo se retrái. Mesmo de costas, […]

Leia mais O seu olhar

Eu e o trapézio voador

Um dos meus maiores encantamentos sem explicação da vida sempre foi o circo. As cores, a música, a atmosfera cheia com tantas possibilidades, mas principalmente a pura beleza dos corpos em movimento. Dentre meus flertes com os malabares de contato e as acrobacias diversas, uma vontade latente é o trapézio de voo. Parece ter algo […]

Leia mais Eu e o trapézio voador

Esquecer para lembrar

Passar por lugares antes cotidianos é como um reencontro. Um pouco estranho, mas bom. Respirar fundo no limite da máscara, enquanto até o vento contra soa como uma carícia bem-vinda. Tudo parece igualmente novo e antigo. Tudo parece demais para absorver de uma vez só. Como é fácil esquecer, penso. O asfalto me recebe como […]

Leia mais Esquecer para lembrar